Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Not being me

29.01.13

Não sei bem por onde começar. Talvez assim...

 

Eu tenho um problema (tenho vários, na verdade, mas vamos por partes). Eu não lido bem comigo. Deixei de me reconhecer há uns anos. Sim, tem tudo a ver com peso. E forma. Ora bem, já disse mil vezes que o meu problema nem sequer é gigante - 8kg, 10kg se deixar gritar a ambição. Sim, eu sei, há coisas bem piores, há problemas bem maiores (e eu também tenho problemas bem maiores do que umas ancas largas, acreditem).

 

Bom, a verdade é que ando há cinco anos em dieta. E também é verdade que ando há cinco anos a boicotar a dita dieta. Tenho pouca (ou, em rigor, nenhuma) resistência às tentações gastronómicas. Não consigo. Ando um dia ou dois a portar-me bem e ao terceiro dia lá vai um chocolatinho. Ou um bolo. Ou outra porcaria qualquer. E depois sinto-me culpada e congelo. Não sou capaz de me manter focada no objectivo, arranjo desculpas, tudo serve de pretexto para comer. Sim, a comida funciona como droga, para mim. Sim, isto é discurso de adicta. Mas o primeiro passo para a cura é assumir o problema, certo? Cá está, problema assumido: preciso de perder 8kg e não sou capaz de parar de comer. E a verdade é que já gostei mais de mim. Agora cheguei à fase de não querer saber. Não me importo comigo, não acho importante tratar de mim. Desleixei-me, na verdade. Não tenho motivação, não me sinto com forças, não me sinto capaz. E isto é uma trampa porque depois alastra e chega a outras áreas da minha vida onde eu não quero nem posso estar assim: trabalho e capacidade de produção.

 

Preciso de um reset. De recomeçar. De repensar e de me reorganizar. Preciso de um novo desafio que me faça ter vontade e brio e que puxe por mim e que exija de mim o impossível - que eu sei que é possível e que eu sei que sou capaz de conseguir. Preciso de me reencontrar, de voltar a conhecer-me, de voltar a sentir-me bem comigo. E preciso de me aceitar novamente...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


29 comentários

De Carla Fernandes a 29.01.2013 às 12:47

Às vezes é preciso muito pouco para ganhar a energia que falta para atingir um objectivo. Um corte de cabelo, uma roupa especial, uma data especial ou até uma amiga com quem partilhar o objectivo. Eu costumo dizer que sou casada com uma pessoa exigente, cheia da mania e mimo, ligeiramente insuportável, até sobretudo quando não lhe fazem as vontades: EU. Esta minha esposa é tanto mais fixe quanto mais eu a trato bem :) Compro-lhe coisas, faço-lhe as vontades, levo-a a dar umas voltas. É a unica pessoa de quem não me posso mesmo livrar, e para viver com ela tenho de estar em harmonia.
Metáforas à parte, e sabendo que na vida temos mais do que fazer além de estragar a nossa esposa interior, só te posso dizer que vista dele lado do écran, tu és gira que te fartas e vales o esforço de conhecer :) Para mim, em termos de perder peso, a única coisa que resultou foi uma nutricionista e um plano alimentar desenhado para mim, tendo em conta o meu estilo de vida. Foi a única fase da vida em que nunca tinha fome, comia coisas de que gostava, dentro daquilo que ajuda a perder peso e tinha uma refeição livre por semana. Talvez uma coisa deste género te ajude também. Posso dar-te o contacto, se quiseres. Beijinhos!

Comentar post




Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Para vocês





Follow me!






Arquivos

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D