Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A saga continua...

28.08.12

Ando a ser acompanhada semanalmente no hospital, por causa da última gravidez. Ontem foi dia de análises, ecografia e consulta. Cheguei ao hospital às 9h. Saí do hospital HOJE às 11h30. Porquê? Porque a ecografia identificou "restos" que tinham que sair. E a minha médica entrava de banco às 21h. E resolveu internar-me logo, para me prepararem e ela poder fazer-me uma nova curetagem quando entrasse de serviço.

 

Passei uma fomeca dos diabos. Comi umas bolachas às 10h, depois comi um chocolate às 14h... e depois comi umas bolachas, um chá e um iogurte às 2h30. Passei o dia à espera: de ser internada, que me pusessem o catéter, que a médica chegasse, que a outra médica chegasse, que o serviço no bloco de partos abrandasse... conclusão: fiz a curetagem às 23h30, depois de ter passado a tarde/noite deitada a ler e a dormir. Nada mau!

 

Correu tudo bem, só estive anestesiada uns 15/20 minutos. O acordar não teve nada a ver com o outro. Nada de olhos revirados tipo camaleão, nada de tensões a bater nos 17/11. A única coisa fora do comum (mas normal em mim) foi ter estado bradicárdica - ou seja, com os batimentos cardíacos baixinhos - mas como já estou habituada não dei importância (nem os médicos e enfermeiros deram).

 

Mais do mesmo: médicas super atenciosas, enfermeiros super cuidadosos. Apanhei a mesma equipa da outra vez, portanto foi na base do "olá outra vez!!". Ainda deu para estar a acalmar uma grávida suuuuuper nervosa: novinha, primeira filha, completamente à nora. Perguntei se já lhe tinham rebentado as águas, disse que não... e perguntou como é que ia ser. Expliquei que, se não rebentassem naturalmente, os médicos ajudavam. Com o quê, perguntou ela. Com um instrumento próprio. Depois disse que era muito medricas, que tinha medo que o processo fosse doer. Disse-lhe que dói, mas que depois passa. E que cada dor é menos uma que falta para a miúda estar cá fora. Às 23h, quando o meu marido chegou ao pé de mim, disse-me que essa bebé já tinha nascido há um bom bocado, a festa estava instalada na sala de espera. Fiquei feliz. Correu tudo bem e a miúda conseguiu dar conta do recado.

 

[Tive um momento "tirem-me daqui" na sala de espera, ainda antes de ser internada. Um pai que veio cá fora em lágrimas, abraçar-se à família. O filho tinha nascido há minutos e ele estava para lá de feliz. E eu a pensar que não ia passar por aquilo novamente. E a obrigar-me a pensar nas duas vezes que já passei por aquilo. E a controlar-me para não chorar e para não sair dali. Consegui.]

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


2 comentários

De Anónimo a 28.08.2012 às 13:44

Passado um mês de abortar, também tive que fazer curetagem e também tive um pai a receber os novos avós banhados em lágrimas. Custou!!

De Sofes a 03.09.2012 às 16:18

[2 anos depois, ainda tenho vontade de fugir da sala de espera a cada vez que "visito" a minha gine. Ainda me "doi" ver a felicidade das barrigas gigantes. Agora já me controlo, mas das duas primeiras vezes, entrei no consultório lavada em lágrimas...]
bj

Comentar post




Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Para vocês





Follow me!






Arquivos

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D