Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Avô

19.12.11
4 anos sem ele. Sem um dos grandes pilares da minha vida. Sem o homem que me ensinou da doçura e da brincadeira. Sem o homem que me ensinou a carregar cartuchos (e se eu odeio caça). Sem o homem que me ia buscar à escola, que me deixava fazer o caminho para casa sempre em cima de todos os muros que encontrávamos. Sem o homem que vi adoecer e recuperar e adoecer novamente. Sem o homem cujos olhos azuis foram sempre os mais bonitos. Cuja doçura foi sempre a mais quente. 4 anos sem o meu avô.

Teve seis netos. Deixou de ver três deles uns anos antes de morrer e foi essa a mágoa que levou consigo, a de não saber nada daqueles netos, a de saber pouco daquele filho, o mais novo, que emigrou e se perdeu por Angola. Teve uma bisneta, que nasceu dezassete dias antes de ele morrer. Não a conheceu. Se cá estivesse, teria três bisnetos. Dois acompanharia mais de perto. A terceira, filha de uma das netas distantes, acredito que haveria de conhecer. Ele, o meu avô preferido, está perpetuado em todos os nós, que o guardamos no peito, no coração e no sangue. E temos, os três netos que o acompanharam de perto, a mesma mágoa e a mesma saudade. E a mesma certeza de que ele foi e será sempre um dos pilares do que nós somos. Obrigada, avô.

[Aqui tatuado no antebraço da minha prima mais nova, uma corajosa a quem invejo o que gravou na pele. Ficou exactamente igual ao que ele era. Tão igual que choro sempre que olho para esta tatuagem com olhos de ver.]

Autoria e outros dados (tags, etc)


4 comentários

De Dulce a 20.12.2011 às 09:04

Bonito texto... Onde quer que ele esteja estará orgulhoso da sua neta :) Eu cá já não tenho avós, a última avó (materna) partiu há 5 anos e também me custou muito. Lembro-me dela muitas vezes e sorrio, porque ela adorava o meu sorriso.

Quanto à tatuagem, é uma bonita (e corajosa) homenagem.

De Ana a 20.12.2011 às 11:00

Praticamente não sei o que é ter avós. Todos morreram muito cedo. Lembro-me só daquela que morreu quando eu tinha 16 anos (avó paterna). Todos os outros morreram quando eu era mesmo muito pequena.

De triss a 20.12.2011 às 15:29

:-)
Também tenho muitas saudades do meu...

De S.o.l. a 06.01.2012 às 11:18

Cheguei aqui através de outro blog. Li-te.
Li sinceridade, consciência, lógica, saber, sentimentos.
Gostei, vou seguir e voltar.

Beijinho.

Comentar post




Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Para vocês





Follow me!






Arquivos

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D