Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Espreitadela

06.12.13

Amanhã vai haver disto na mesa...

(E a produção vai acelerada. Do cardápio de hoje, falta fazer o jantar - lulas ainda não sei como -, um cheesecake e decorar o bolo. Aponto para as quatro da manhã, de novo...)
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Uma sopa espectacular

25.11.13

As minhas sopas seguem a filosofia do poker: all in. Não sigo receitas. Vou ao frigorífico e à arca e tudo o que houver marcha. Ontem fiz uma sopa assim: pus abóbora, courgette e alho francês (tudo congelado) no copo da Bimby. Juntei duas colheres de sopa de feijão manteiga já cozido (compro em frascos e vou usando em sopas e arroz), um bocadinho de sal, um caldo Knorr de legumes e água a olhómetro. Triturei tudo 5 seg/vel.5 e cozi 25min/100º/vel.1. No final juntei azeite (a olho) e triturei novamente durante 1 minuto, progressivamente nas velocidades 5, 7 e 10 (eu sei que não se deve triturar sopa na velocidade 10... mas eu gosto das sopas bem cremosas. E ponho sempre um pano por cima do copinho enquanto trituro, para evitar desastres.

Tinha massa cozida no frigorífico, à espera de destino. A minha gente gosta de sopa com massa ou arroz. Pus a massa no copo da Bimby (sem o lavar) e triturei 3 seg/vel.5. Depois pus duas colheres de massa em cada prato de sopa (menos no meu, que eu não como massa - salvo raras excepções), eles comeram, eu comi, o marido repetiu e a sopa acabou. Estava mesmo, mesmo deliciosa!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Do fim de semana

25.11.13

Entre sexta e sábado estive em maratona de bolo. A Maria fez dois anos e coube-me a honra de fazer o bolo de aniversário dela. Missão assustadora, digo-vos já! Porque era um bolo grande, porque era para a Maria e porque a mãe da Maria é aquela pessoa que tem bom gosto até sei lá onde e que não queria mesmo desiludir.

Mas depois deste bolo, ouçam: venham de lá os bolos de casamento! Estou pronta! Este foi o bolo em que perdi os medos. Aquilo tinha tudo para correr mal: era um bolo grande, de dois andares, coberto com uma pasta de açúcar de uma cor que não existe (e que tive que fazer à mão - treino de braços? Check!). Pois não correu nada mal. Nada! Nem sequer o transporte que é assim a cereja no topo do bolo - mas, para assegurar mesmo a coisa, levei a minha mãe comigo, a fazer de cakesitter, para ver se aquilo não descambava mesmo. Não descambou e chegou intacto.

Este bolo devia dar-me equivalência a Engenharia Civil, no Técnico. Tinha tubos de plástico, paus de bambu e cabo de aço. E bolo, óbvio. Mas às vezes, para manter tudo no sítio, é preciso recorrer a materiais que não são assim o cúmulo do comestível...

Quem me segue no Instagram pôde acompanhar a produção da coisa. Entre começar e acabar passaram cerca de 22 horas, das quais umas 15 ou 16 foram em pé, à volta do bolo. Cansativo? Sim. Compensador? Muito! Quando se ama o que se faz, o cansaço pode ser gigante mas a vontade é ainda maior.

Deixo-vos as fotos da "obra". Espero que gostem!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Do jantar de hoje

18.11.13

Tenho "ao lume" (que é como quem diz, na Bimby) umas almôndegas com arroz de tomate. Tudo a ser cozinhado ao mesmo tempo. Se a coisa resultar parece-me que é prato a repetir muitas, muitas vezes. (Devia ter almoçado, é o que é. Estou esganada. Mas a controlar a coisa sem problemas.)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Let's eat!

18.11.13

[Uma banana pequena, uma colher de café de manteiga de amendoim, sementes de chia e de girassol. Pré-treino.]

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

13.11.13

Portanto, no dia em que fiz a abóbora recheada não deitei o que sobrou fora. E o que sobrou foi a casca da abóbora, com um bom bocado de polpa agarrado. Peguei na abóbora, descasquei (e, como a abóbora tinha sido assada, a pele saiu a puxar, o que fez com que se desperdiçasse pouco) e aproveitei a polpa. No copo da bimby pus a abóbora, uma cebola pequena, um dente de alho, dois tomates pelados, um punhado de salsa, sal e água. Cozinhei durante 15 minutos (a abóbora já tinha sido cozinhada e os outros ingredientes não precisavam de muito tempo). À parte, cozi agriões baby durante o tempo que demorou a fazer a sopa. No final triturei o que estava na bimby e acrescentei os agriões a segui. Rendeu 2 litros de sopa. E estava uma delícia!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Bom dia!!

12.11.13

Ontem, o jantar fez-se de inovação... e estava tão bom, mas tão bom!!

 

Abóbora recheada com bacalhau e camarão, com arroz de cardamomo
 
Ingredientes para a abóbora
1 abóbora pequena (usei hokkaido)
200gr de bacalhau demolhado e desfiado
Camarão q.b. (usei uns 15 camarões 20/30)
1 cebola
2 dentes de alho
100ml de natas
100ml de Philadelphia
30gr de azeite
100gr de tomate pelado
50gr de pimento
1 colher de chá de caril
sal q.b.
salsa q.b.
 
Preparação
Tirar a tampa da abóbora e assar num tabuleiro durante cerca de 30 minutos, a 170º. No fim, a polpa da abóbora deve estar tenra de maneira a que consiga tirar-se. Deixar arrefecer e retirar a polpa com cuidado para não fazer buracos na casca. Separar as sementes e reservar a polpa.
 
No copo da Bimby, colocar a cebola, os alhos, o pimento, o tomate, a salsa e o azeite. Triturar 5 seg/vel.5. Refogar 5 min/100º/vel.1. Juntar as natas, a polpa reservada, o queijo, o bacalhau, o camarão, o caril e o sal e cozinhar 12 min/varoma/colher inversa.
 
No final, colocar o molho dentro da casca da abóbora e levar ao forno a alourar.
 
Ingredientes para o arroz
1 1/2 chávena de arroz vaporizado ou basmati
1 caldo para arroz
sal q.b.
3 cardamomos
água q.b.
 
Preparação
Ferver a água. Num tacho, colocar o arroz, o caldo, o sal, o cardamomo e juntar a água. Cozinhar até o arroz estar no ponto.
 
[Nota: a receita da abóbora é adaptada de uma receita da Susana Gaspar do blog No Soup For You.]
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Boa noite

12.11.13
... E que o vosso S. Martinho tenha sido pelo menos tão bom quanto o nosso! Há.muito tempo que um prato não me sabia tão bem! Amanhã conto tudo (receitas incluídas!)...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Baker's pleasure

17.10.13

Para mim, enquanto fazedora de bolos-e-afins, nada bate o prazer de ver pessoas saborear as coisas que faço. Nada. Ontem à tarde, por exemplo: levei um bolo de chocolate com recheio e cobertura de ganache para o bar do ginásio (do qual sou fornecedora de bolos e quiches), acabado de fazer, ainda morno. Em menos de nada, o bolo estava a ser partido e a primeira fatia saboreada. Foi a primeira vez que levei um bolo destes para lá, pelo que a reacção foi a estrear. E o comentário que ouvi (de longe, como se não fosse nada comigo) foi "isto está tão bom!!". E a fatia desapareceu em menos de nada. Gosto mesmo de ver aqueles momentos em que a minha comida, ou, neste caso, os meus bolos, trazem sorrisos ao rosto de quem os come. Faz-me sentir que estou no caminho certo, sabem?

 

[Anteontem de manhã levei um bolo de limão com sementes de papoila e cobertura de caramelo lá para o bar. Ontem de manhã restava uma fatia. À tarde, nem sinal do bolo... ]

Autoria e outros dados (tags, etc)

Busy bee

10.10.13

Felizmente, tenho tido trabalho todos os fins-de-semana. Amo cada vez mais isto de criar coisas-de-comer. Panico um bocadinho (porque não ando nisto assim há tanto tempo!), mas depois respiro fundo e faço acontecer. É bom.

Para amanhã há uma encomenda gira: um cheesecake, uma ultra-dose de folhados e um bolo "ela gosta disto e daquilo, confio em ti, faz como achares melhor"... (Já disse que panicava um bocadinho, não já??)

Agora é hora de me pôr a mexer - literalmente: gastar energias acumuladas lá no sítio do costume (aka, no ginásio) e depois plantar-me à beira do fogão. Adoro!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Com A Vaca Que Ri sabe bem regressar às aulas

09.10.13

Fui convidada a participar no passatempo "Com A Vaca Que Ri sabe bem regressar às aulas". A ideia é criar uma receita saudável com os queijos A Vaca Que Ri. Aqui fica a minha contribuição...

 

Panquecas com A Vaca Que Ri e doce

 

Espero que gostem!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

No forno...

26.09.13

... o segundo bolo do dia. Hoje vai ser assim: um bolo de aniversário para uma menina que faz 12 anos, outro para um menino que faz 6 e uma Pavlova para um grupo de amigos saborear ao jantar. Acho que ainda não vos disse: adoro isto de fazer bolos!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Dos bolos

03.09.13




Tem sido viciante!

Autoria e outros dados (tags, etc)

O bolo do Afonso

08.08.13

Autoria e outros dados (tags, etc)

Good things come...

07.08.13

... eventually!

 

Bom, anteontem foi o aniversário do A. da Catarina. Levei a miúda e fomos. Gostámos tanto, tanto...! Adoramos o Jardim da Estrela, onde temos pena de não ir mais vezes. Adoramos tardes de sol e de calor q.b.. Adoramos andar à solta, sem preocupações de horários e coisas por fazer. Ontem permitimo-nos isto tudo. Foi tão bom! Ela brincou e brincou e brincou... Eu conversei, conheci gente nova, revi gente "antiga"... Tão bom, já disse?

 

[A Catarina pediu-me que fizesse o bolo de aniversário. Eu, confesso, tremi de medo. Uma coisa é fazer bolos-para-casa... outra é fazer bolos para uma festa destas! Bom, aparentemente não! Correu bem, adorei o trabalho e acho que ela gostou do resultado. E espero que os convidados também!]

Autoria e outros dados (tags, etc)

Overnightquê?

05.07.13

Overnight Oats. Um pequeno-almoço saudável, saboroso, adaptado ao gosto de cada um, cheio de nutrientes, altamente viciante...

Então a receita disto é... não há receita! Vale tudo! Bom, quer dizer, oats são flocos de aveia, portanto a ideia é que ande por lá disto. O que eu costumo fazer é agarrar no meu frasco de meio litro e pôr no fundo meio iogurte (às vezes líquido, outras vezes sólido), depois ponho uma colher de sopa bem cheia de sementes de linhaça trituradas (ajuda a pôr o intestino a funcionar, mas as sementes têm mesmo que estar trituradas, porque se estiverem inteiras o organismo não as processa e não fazem nada), uma colher de sopa de sementes de chia e misturo bem este nível, para que as sementes fiquem molhadas. Depois ponho uma camada de fruta. O que houver e me apetecer. Se uso fruta ácida/amarga (tipo kiwi) ponho um fio de mel. Depois ponho duas colheres de sopa de flocos de cevada e duas de aveia. Ponho o resto do iogurte, ponho outra fruta (se uso maçã ou banana também ponho canela, por exemplo). No fim de tudo cubro com leite e ajeito de maneira a que o leite chegue à aveia e à cevada. Fecho o frasco, ponho no frigorífico e, na manhã seguinte, tiro, aqueço um bocadinho no micro (só para tirar aquela "frialdade" toda, que eu não sou grande fã de cenas geladas) e como. E no fim fico sempre a achar que comia outra dose daquilo, na boa. 

E porque é que se faz isto pondo no frigorífico de um dia para o outro? Para "cozer" os flocos de aveia. Isto é uma alternativa fresca às papas de aveia tradicionais. Permite milhões de combinações, permite adaptar ao gosto de cada um, permite variar e comer todos os dias coisas diferentes. E é saudável e muito saciante e... estou viciada, pronto.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Juicy Detox

03.07.13

Depois de ter passado o fim-de-semana imersa em açúcar senti que estava MESMO a precisar de um detox que me pusesse o organismo de volta aos eixos. Foi ontem. Passei o dia a sumos e batidos. Fui fotografando e pondo no Instagram, mas prometi que hoje fazia aqui um apanhado dos cinco sumos e batidos que fiz, com as receitas a acompanhar. Posto isto...

Para começar bem o dia, um sumo verde. Uma mão cheia de espinafres, uma banana pequena, uma maçã pequena, três ameixas vermelhas sem casca, 250ml de água. Tudo triturado durante 1 minuto, velocidade 10, na Bimby. Rendeu dois copos destes, que bebi de seguida. Não coei o sumo, portanto todos os nutrientes estavam intactos. E não, não sabe a sopa, nem sequer se sente o sabor dos espinafres. Nesta combinação, o sabor que domina é o da banana. Bebi este sumo às 9h e aguentei sem fome até às 12h. A seguir ao sumo bebi o meu café matinal - tenho mesmo que beber, sob pena de andar cheia de dores de cabeça...
A meio da manhã, um batido. Uma banana pequena, morangos (não os contei) e 250ml de leite sem lactose. Tudo triturado 1 minutos, velocidade 10, na Bimby. Bebi isto cerca de uma hora antes do treino do dia (uma aula de Body Pump) e aguentei-me sem fome, sem fraquezas e sem tonturas. No final da aula, ainda no estacionamento do ginásio, comi um triângulo de queijo light (muito bem mastigadinho), para não catabolizar.
Para o almoço, aditivei o sumo. Fiz com um kiwi, uma banana pequena, uma pêra Williams, bagas de goji, linhaça e chia (tudo a olho) e 250ml de água. Rendeu dois copos. Bebi isto cerca das 14h30. Bebi um café a seguir.
Às 16h45, antes de sair com a miúda para a natação, lanchei este batido. 250ml de leite magro sem lactose, 9 morangos e uma mão de framboesas. Foi o único batido a que juntei adoçante (umas gotas, apenas). Também rendeu dois copos, que me aguentaram sem fome até à hora de jantar (quer dizer, quando chegámos a casa, por volta das 19h30, comi um triângulo de queijo light, porque sabia que ainda faltavam umas duas horas até jantarmos e não quis estar tanto tempo de estômago vazio). No ginásio, enquanto a miúda nadava, bebi o terceiro e último café do dia.
Último sumo do dia: meia papaia, um pêssego e uma pêra, com 300ml de água (a papaia era grande e o sumo ficou muito grosso só com 250ml de água, por isso acrescentei mais um bocadinho). Rendeu dois copos e meio, bebidos enquanto o resto da minha gente se deliciava com bacalhau com natas. Jantámos às 21h. Deitei-me às 23h30, sem fome. Havia a hipótese de fazer mais um batido, para beber antes de me deitar, mas não foi preciso.
Resumindo: mantive-me sem fome durante o dia inteiro. Não senti ansiedade nenhuma. Não houve tonturas, nem dores de cabeça, nem fraquezas nem nada. Fiz a minha vida normal e aguentei-me lindamente. Senti-me saciada e com energia. O café, para mim, é imprescindível. Fico cheia de dores de cabeça se não bebo um até meio da manhã. A partir daí, fico bem. Só que já sei que, se não beber mais nenhum, passo o dia a bocejar... Portanto, a minha média é de 3 cafés por dia. É raríssimo beber mais e se bebo menos... sono!

Sobre as minhas receitas: não têm ciência nenhuma. Misturo frutas de que gosto e que tenha em casa. A olho, a gosto, como calha. Já sei que a quantidade de água/leite que junto faz uns sumos/batidos espessos, como gosto. E a quantidade é a ideal para mim: fico muito bem com dois copos.
Última nota: não faço isto por sistema. Faço quando me sinto mesmo intoxicada, que foi o caso depois do baptizado. E a razão por que não se deve fazer isto muito amiúde (não mais do que uma vez por mês ou apenas quando é mesmo necessário) é a seguinte: a fruta está carregadinha de açúcar. E uma dose de açúcar destas é coisa para sobrecarregar o pâncreas. Ora, nós não queremos isso! Portanto há que saber dosear e recorrer a isto só muito de vez em quando, com juízo. O objectivo não é perder peso de repente (até porque há ali fruta altamente calórica, pelo que a perca de peso é irrisória ou até mesmo inexistente); o objectivo é mesmo limpar o organismo de toxinas e pô-lo a funcionar em pleno novamente. (Mas, confesso, hoje acordei menos inchada e a balança acusou o toque...)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Do bolo

02.07.13

Fiz o já tradicional Red Velvet com recheio de creamcheese. Estava mesmo muito bom (não é mérito meu, é mérito da receita mesmo!). Achei que ia demorar umas cinco horas a decorá-lo, mas nem duas demorei. Fiz uma coisa muito simples, sem me pôr a inventar. Toda a gente gostou, que é o que importa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Da Pavlova

02.07.13

Andava há que tempos com vontade de fazer uma Pavlova... sou super-gulosa, já se sabe! Aventurei-me e correu assim...

Segui mais ou menos a receita da Lorraine Pascale, mas aumentei a dose.
6 claras, 345gr de açúcar em pó, sumo de um limão. Comecei por pulverizar o açúcar, juntei o sumo do limão e depois uma clara. Bati com a Bimby com borboleta, 1min/vel4. Fui juntando as claras uma a uma e batendo três minutos entre cada adição. Depois forrei o meu tabuleiro de pizza com papel vegetal e pus o creme lá em cima. Só que espalhei aquilo demais... e no forno aquilo ainda alastrou mais... e acabei por servir a Pavlova no prato da pizza (lição número um: não espalhar demasiado a massa!). Cozeu durante 1h15, a 140º. Deixei arrefecer no forno, com um bocadinho da porta aberta. Até aqui, foi tudo feito de véspera. Depois, no dia seguinte, bati dois pacotes de natas em chantilly (juntei duas saquetas de Chatillyfix e duas de açúcar baunilhado), espalhei por cima da pavlova assim mais ou menos a olhómetro. Depois atirei com os frutos vermelhos lá para cima, sem ciência nenhuma. Foi o primeiro doce a desaparecer e foi o único que não sobrou para ser distribuido pelas casas dos convidados...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Trutas

05.06.13

Aqui a esperta ontem resolveu aproveitar a promoção de peixe do Pingo Doce. Olhei para as trutas, pareceram-me bem e toca de comprar três para assar no forno. Corta para hora de fazer o jantar. Trutas preparadas, trutas no forno. Corta para hora de arranjar as trutas para os miúdos.

Conselho de amiga: NUNCA NA VOSSA VIDINHA COMPREM TRUTAS!

Aquilo tem milhares de espinhas. fininhas, moles, grandes, médias e pequenas. Milhares!!

A coisa foi de tal maneira que eu estive a *isto* de atirar com a porra das trutas para o lixo e ir comprar um frango assado! E olhem que eu odeio estragar comida!! Mas aquilo estava a dar-me conta da cabeça. Já tinha o peixe completamente desfeito (em papa, literalmente) e continuava a encontrar espinhas. Quando achei que já tinha extreminado o espinhame todo passei os pratos ao meu marido, só para ele dar uma vista de olhos. E ele encontrou carradas de espinhas! Quando chegou a vez de ele comer, esteve prestes a desistir. Quando conseguiu despachar as espinhas dele já estava tudo gelado. E ele já sem vontade nenhuma de comer. Nem trutas nem nada.

Portanto, gente boa, trutas... esqueçam lá isso!

 

[E é pena, porque aquilo é saboroso...! Mas aquele apocalipse de espinhas faz perder a fome a qualquer um!!]

Autoria e outros dados (tags, etc)

Duas receitas da minha lontrice

13.05.13

Dietas são aquelas fases em que não se pode comer aí 90% daquilo de que se gosta. E a tendência, em dietas mais restritivas, é para o enjoo: só se pode comer meia dúzia de coisas, portanto comemos essas coisas até à exaustão. Ou até que nos fartamos e nos pomos a inventar. Foi o que me aconteceu. Ontem e hoje. De maneiras que...

 

Bacalhau à brás falsificado mas assim ultra light

 

Ingredientes (para uma pessoa):

Bacalhau q.b. (eu uso daquele já desfiado, marca Pingo Doce ou Continente, a cerca de €3,59 a embalagem - nesta receita usei meia embalagem)

1 alho francês grande cortado em rodelas fininhas

Azeite q.b.

2 ovos (podem acrescentar-se mais claras)

Salsa, sal e pimenta a gosto

 

Preparação:

Refogar o alho francês com o azeite até amolecer. Se não dispensarem o estaladiço do bacalhau à brás tradicional, refoguem apenas a parte branca do alho francês e reservem a parte verde. Se se estiverem nas tintas para o estaladiço, refoguem já tudo.

Juntar o bacalhau desfiado e deixar cozinhar.

Se gostam do tal estaladiço, juntar agora o restante alho francês e deixar cozinhar um pouco.

Juntar os ovos batidos temperados com sal, salsa e pimenta.

Deixar cozinhar até os ovos secarem.

Está pronto!

 

 

Hamburgueres de Frango e Cogumelos

 

Ingredientes (para 4 unidades grandes):

1 peito de frango grande

1 lata de cogumelos grande (não industrial, atenção!)

1 ovo

Sal e alho q.b. (ou outros temperos que vos agradem)

 

Preparação:

Enfiar isto tudo na Bimby ou numa picadora qualquer. Triturar bem (fiz na Bimby e foi coisa para 1 minuto/velocidade 6). Moldar os hamburgueres. Grelhar sem gordura. Acompanhar com uma salada ou courgette grelhada ou alho francês salteado (batatas fritas não convém senão poupa-se de um lado para se alarvar do outro!). Comer. Eventualmente ter que partilhar com o resto da família (foi o que me aconteceu: fui violentamente assaltada pelos meus filhos que, entre massa com atum e isto, preferiram isto. E nem são fãs de cogumelos...)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Massa com bacon, camarão, courgete e tomate

08.02.13

Ontem atirei-me ao fogão (e à bimby) com ganas de me despachar rapidamente. O que resultou daqui vale a pena ser partilhado. Ficou delicioso e foi incrivelmente rápido. Esta dose dá para duas pessoas que comam bem ou para três que comam mais ou menos.

 

Vão precisar de:

  • 8 camarões (podem usar mais, eu só tinha 8)
  • 200gr de bacon cortado em quadradinhos ou tiras
  • 200gr de courgete cortada aos cubos
  • 10 tomates cherry cortados em quartos
  • 4 dentes de alho
  • 30gr de azeite
  • 300ml de água (para cozer o camarão)
  • 100ml de natas
  • massa q.b.
  • sal q.b.

E vão fazer o seguinte:

  • Descascar os camarões e retirar as cabeças. Pôr isto (cascas e cabeças, bem entendido) no copo da bimby, temperar a gosto e cozer 5 min/100º/v1. No final, triturar tudo 30 seg/v5. Coar e reservar o caldo. Os camarões aguardam pelo fim da coisa - já lá chegamos.
  • Passar o copo por água e pôr os alhos e o azeite. Triturar 5seg/v5. Regofar 3 min/100º/v1.
  • Pôr a massa a cozer (no fogão) de acordo com as instruções da embalagem. Temperar a gosto.
  • Juntar o bacon e refogar 3 min/varoma/v1.
  • Juntar a courgete e o caldo de camarão e cozinhar 4 min/varoma/v1.
  • Juntar as natas e os tomates e cozinhar mais 5min/varoma/v1. A dois minutos do fim juntar os camarões pelo bocal e deixar terminar o tempo.
  • Escorrer a massa, juntar o preparado anterior e servir.
  • Sim, é só isto.

Então e quem não tem bimby? Faz assim:

  • Descascar os camarões e retirar as cabeças. Pôr isto (cascas e cabeças, bem entendido)num tacho com a água, temperar a gosto e deixar ferver uns 5 minutos. No fim, triturar com a varinha mágica. Coar e reservar o caldo. Os camarões aguardam pelo fim da coisa - já lá chegamos.
  • Num tacho pôr os alhos picados e o azeite e refogar durante uns 3 minutos.
  • Pôr a massa a cozer de acordo com as instruções da embalagem. Temperar a gosto.
  • Juntar o bacon ao tacho com os alhos e deixar alourar e libertar sucos.
  • Juntar a courgete e o caldo do camarão e deixar ferver em lume brando 4 minutos.
  • Juntar as natas e os tomates e cozinhar durante mais cinco minutos. Antes de terminar, juntar o camarão.
  • Escorrer a massa, juntar o preparado anterior e servir.
  • Sim, é só isto.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Da festa do infante

28.01.13

Fiz esta sobremesa (que toda a gente adorou).

Fiz este bolo (que já tinha sido um sucesso nos anos da irmã).

Fiz uma quiche (massa folhada, bacon, fiambre, cebola e cogumelos, mais seis ovos e leite a olho, sal e pimenta, meia hora de forno e está feito).

E houve semifrio de natas e torta de laranja e tarte de amêndoa, pelas mãos da minha mãe e da minha cunhada e estava tudo delicioso.

 

No fim, arranjei quatro caixas e despachei tudo o que sobrou... senão, além dos últimos sete dias de disparate, tinha mais uma semana de engorda violenta e não posso. Porque mais dois quilos... e deixo de ter roupa que me sirva!

 

Ah, e o bolo ficou assim:

(Barrei o bolo. Recortei um 2 em cartolina, que pus ali no meio. Espalhei confetis por cima.
Retirei o 2. Corrigi os buracos de creme que ficaram porque o dito foi agarrado ao 2.)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Marmelada

29.11.12

Ontem andei na marmelada. E pois que arranjar um quilo e meio de marmelos é uma chatice. E pois que a receita a Bimby não dá para o meu gosto. Eu gosto de compotas "sólidas", portanto meia hora a 100º não dá. Tive a Bimby a rodar durante uma hora, mas a marmelada ficou uma delícia. E como sou anti-desperdício (e pro-trabalheira) hoje, às 7h, tinha a máquina a rodar novamente... para fazer geleia de marmelo. E para que quero eu geleia de marmelo? Para dar brilho a tartes, ora! Há uma tarte de maçã (cuja receita ainda não descobri) que vai ver a luz desta geleia já no fim de semana.

 

E por falar em bolos e em fim de semana... começa no domingo a nossa época das festas: aniversário dela, natal, ano novo, aniversário dele, aniversário da sogra, aniversário do marido, aniversário aqui da menina, dia dos namorados... E é isto! Boa quinta, gente!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

O melhor brownie do mundo

24.11.12

 

Hoje de manhã madrugada fiz um brownie. É a receita que sugeri no Come Along #5. Pediram-ma no Facebook e achei melhor partilhar a versão revista e aumentada (ou seja, adaptada a medidas portuguesas e aumentada para fazer um tabuleiro de 20x30cm).

 

Ingredientes:

 

280gr de chocolate de culinária

225gr de manteiga

400gr de açúcar

3 colheres de chá de extracto de baunilha

5 ovos médios (ou 4 grandes)

240gr de farinha

1 colher de chá de sal

1 colher de chá de fermento

 

Preparação Bimby:

 

Pré-aquecer o forno a 180º. Forrar o tabuleiro com folha de alumínio, deixando um bocado para cada ponta, para ajudar a desenformar no fim.

Derreter a manteiga com o chocolate 6min/80º/vel.1. Programar 2min/vel. 3 e juntar os ovos um a um, deixando bater uns segundos antes da adição seguinte.

Juntar o extracto de baunilha. Juntar os ingredientes secos, colocando o sal e o fermento no fim, em cima da farinha. Bater 1min/vel.4, até estar bem envolvido. Deitar no tabuleiro e levar ao forno entre 35 a 45 minutos (depende dos fornos). O brownie estará bom quando o palito, espetado no meio do bolo, sair húmido, mas não com a massa a escorrer.

 

Preparação tradicional:

 

Pré-aquecer o forno a 180º. Forrar o tabuleiro com folha de alumínio, deixando um bocado para cada ponta, para ajudar a desenformar no fim.

Derreter o chocolate com a manteiga em banho-maria, tendo cuidado de não deixar queimar o chocolate. Tranferir para uma taça.

Juntar os ovos um a um, batendo bem entre cada adição.

Juntar os ingredientes secos, colocando o sal e o fermento no fim, em cima da farinha. Bater até incorporar.

Deitar no tabuleiro e levar ao forno entre 35 a 45 minutos (depende dos fornos). O brownie estará bom quando o palito, espetado no meio do bolo, sair húmido, mas não com a massa a escorrer.

 

[Isto, garanto-vos, é de ir ao céu e voltar. E depois é de passar 15 dias com o rabo enfiado no ginásio, a fazer tudo o que seja aula-para-queimar-calorias...!]

Autoria e outros dados (tags, etc)

Bacalhau (pouco) espiritual

18.10.12

Na semana passada improvisei um parente afastado do bacalhau espiritual. Acontece que aquilo ficou maravilhoso e achei que devia partilhar convosco. Deixo aqui a receita para a bimby, mas é muito fácil adaptar ao modo tradicional. Cá vai...

 

Ingredientes (4 pessoas):

 

800gr de batata

300gr de leite

50gr de manteiga

sal e pimenta qb.

 

1 cebola grande

1 ou 2 cenouras

2 dentes de alho

50gr de azeite

300gr de bacalhau demolhado (usei parte de uma embalagem de bacalhau demolhado e desfiado do Pingo Doce. Se usarem em posta, cozam antes e desfiem - cozerem o bacalhau antes, quando o juntarem ao refogado basta programar 3 min/100º/vel. 2 para envolver.)

Pão ralado q.b

Queijo mozzarella ralado (opcional)

 

Preparação:

 

Fazer o puré seguindo as instruções do livro base. Reservar.

Pré-aquecer o forno a 180º.

Colocar no copo lavado a cebola, os alhos e as cenouras e triturar 10 seg/vel. 5. Juntar o azeite e refogar 6 min/100º/vel. 2. Juntar o bacalhau e deixar cozinhar 7 min/100º/vel. 2.

Num pirex, colocar metade do puré. Colocar o refogado de bacalhau por cima. Cobrir com o restante puré. Polvilhar com pão ralado e/ou queijo. Deixar alourar e servir.

Autoria e outros dados (tags, etc)

What Marianne cooked

09.10.12

Depois de uma época muito desinspirada na cozinha, os últimos tempos têm sido bem melhores. Ando a revisitar algumas das minhas receitas preferidas. E a inventar um bocado. Ontem, por exemplo, fiz um bolo mármore-arco-íris com a miúda. Eu explico: receita do bolo mármore. A metade que fica sem chocolate (e que na verdade não foi metade mas sim dois terços da massa) foi dividida em taças e regada de corantes diferentes. Neste momento tenho na cozinha um bolo amarelo, castanho verde e vermelho. Saboroso, ainda por cima. E que a miúda adorou ajudar a fazer.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Cinnamon Rolls - a receita

17.07.12

 

Portanto, não sei se sabem mas canela é capaz de ser a minha especiaria preferida. Há uns anos provei (não sei onde, não me lembro) Cinnamon Rolls, que é como quem diz Enrolados (ou Rolos) de Canela. Entretanto chegou o Starbucks aqui à cidade e com ele mais cinnamon rolls. Andei que tempos até descobrir uma receita que me agradasse. É esta, descoberta no fim-de-semana passado. A foto (instagramada) não faz jus à coisa...

 

Ingredientes Massa:

 

175gr de leite

1/2 chávena de óleo

1/2 chávena de açúcar

5 chávenas de farinha

7gr de fermento em pó tipo Ramazzoti (do que se usa para fazer pão)

1 colher de chá rasa de bicarbonato de soda

1 colher de chá rasa de sal

1 colher de chá de fermento para bolos (tipo Royal)

 

Ingredientes Recheio:

 

Manteiga derretida (a olhómetro - eu devo ter usao uns 80gr)

Açúcar para polvilhar (a olhómetro)

Canela para polvilhar (a olhómetro)

 

Preparação Bimby e Tradicional:

 

Juntar o leite, o óleo e a meia chávena de açúcar na Bimby e programar 3 min/90º/vel 1. 

Se fizerem em modo tradicional, levar estes ingredientes ao lume, sem levantar fervura, e mexer até derreter o açúcar.

 

Juntar o fermento "Ramazzoti" e deixar estar durante um minuto (sim, eu sei que este fermento não é suposto contactar com líquidos. Mas façam como diz a receita...).

 

Juntar 4 chávenas de farinha e amassar na bimby ou à mão ou com uma batedeira, até estar bem envolvida com o líquido. Deixar repousar a massa durante uma hora, com um pano por cima, num local quente.

 

Pré-aquecer o forno a 200º.

 

No final do tempo, juntar a chávena de farinha que sobrou, o bicarbonato, o fermento e o sal e envolver. Se acharem a massa muito dura juntem mais um pouco de leite até a massa estar elástica, mas não peganhenta.

 

Numa superfície lisa polvilhada com farinha estiquem a massa até ela estar fina (não é preciso fazer buracos!). Estiquem-na num rectângulo de cerca de 40cm x 20cm (não é científico...!).

 

Espalhem a manteiga derretida por cima, depois o açúcar e depois a canela. Comecem a enrolar o rolo pelo lado que está mais longe de vocês. Vão apertando (a ideia é ficar com um rolo não muito grosso no final). É capaz de sair um bocado do recheio para fora. Não faz mal! No final, cortem o rolo em pedaços com cerca de 5cm de largura e disponham-nos num tabuleiro ou numa forma redonda, sem os apertar uns contra os outros. Se tiver sobrado recheio podem pô-lo por cima dos rolos antes de os levarem ao forno. Deixem-nos cozer durante cerca de 15 a 18 minutos, até estarem dourados, mas não demasiado cozidos.

 

Há quem ainda ponha uma calda de açúcar em pó, leite, café e aroma de baunilha por cima dos rolos, assim que eles saem do forno. Eu dispenso... fica demasiado doce para mim!

 

Et voilá... Cinnamon Rolls, best version ever!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Nem de propósito...

26.03.12

O tema do "Desafio da Anita" de hoje é a comida. Eu falei em sushi. O meu almoço vai ser sushi. MUITO sushi! (E estou cheia de fome. Calha bem!)

Autoria e outros dados (tags, etc)

O bolo de laranja - Bimby e tradicional

29.08.11
Também está aqui.


Ingredientes Massa:

3 ovos
170gr de açúcar
3 c. de sopa de manteiga derretida (+-60gr)
3 c. de sopa de leite
200gr de farinha
2 c. de chá de fermento
1 c. de sopa de raspa de laranja

Ingredientes Calda:

2 laranjas (sumo e raspa)
1 ovo + 1 gema
200gr de açúcar
65gr de manteiga


Versão Bimby:
Bater os ovos com o açúcar durante 2 minutos na velocidade 3. Adicionar a manteiga em fio (com aquilo na velocidade 1) e depois bater mais 2 minutos na velocidade 3. Juntar o leite, a farinha, o fermento e a raspa de laranja e bater 3 minutos na velocidade 4. Levar ao forno a 180º, durante 35 minutos.

Para o molho: colocar todos os ingredientes no copo e bater 3 minutos, temperatura 80º, velocidade 3. Desenformar o bolo e pôr a calda por cima.


Versão "tradicional":

Bater os ovos com o açúçar. Adicionar a manteiga em fio e bater. Juntar o leite, a farinha, o fermento e a raspa de laranja e bater mais um pouco. Levar ao forno a 180º, durante 35 minutos.

Colocar os ingredientes do molho num tacho, e mexer. Levar ao lume e deixar ferver em lume brando durante 2 minutos (ou até a calda começar a engrossar). Desenformar o bolo e pôr a calda por cima.


Autoria e outros dados (tags, etc)



Pesquisar

Pesquisar no Blog  








Para vocês





Partners







WOOK - www.wook.pt












Eu e os Livros

2013 Reading Challenge

2013 Reading Challenge
Lénia has read 2 books toward a goal of 30 books.
hide

Follow me!






Arquivos

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D